segunda-feira, 21 de agosto de 2017

O NÚMERO NOVE E A EVOLUÇÃO HUMANA ( e algumas implicações astrológicas)

por Roberto Gomes da Costa

Max Heindel nos diz no “Conceito Rosacruz do Cosmos” que o número nove é p número raiz do nosso estado atual de evolução...É o número de Adão, a vida que começou sua evolução como Homem e que alcançou o estado humano durante o Período Terrestre. ..Em hebraico, Adão diz-se “ADM” O valor de A é 1; o de D, 4: e o de M, 40. Se somarmos esses algarismos 1+4+4+0=9, encontraremos o número de Adão ou da humanidade”.

Diz-nos Max Heindel ainda que o número da besta é 666, que também soma 9. O número dos que se salvarão, segundo o Apocalipse é 144.000, que outrossim, soma nove, ou seja, a humanidade será salva em sua totalidade. Matematicamente, o número 9 tem a curiosa propriedade de se reproduzir permanentemente, pois por qualquer número multiplicado por nove dá lugar a um outro número cujos algarismos sempre somam nove. Não deixa de ser um símbolo adequado para a evolução humana, que em seu estágio atual depende inteiramente, para sobreviver, do princípio da reprodutibilidade.

O número nove pode ser representado por três triplicidades, as eu simbolizam os três princípios do homem, a saber, o corpo, a alma e o espírito.São nove os graus de iniciação chamados de “Os Mistérios Menores”, que levam o aspirante a penetrar os nove estratos da Terra.

A influência dos planetas através dos signos está diretamente ligada ao número nove. Quando estão dignificados (ou em detrimento), a soma dos números correspondentes aos signos é igual a nove. Assim ocore com Marte, que rege Áries (1) e Scorpio(8); com Vênus, que rege Taurus(2), e Libra(7); com Mercúrio que rege Gemini(3) e Virgo (6) e até mesmo com Júpiter e Saturno . Júpiter rege Sagitário(9)e é co-regente de Piscis(12), cuja soma, em módulo 12, é igual a nove. O mesmo raciocínio pode ser aplicado a Saturno, que rege Capricórnio(10) e é co-regente de Aquarius(11).

Finalmente, pode-se citar que a influência dos luminares, o Sol e a Lua, quando dignificados respectivamente em Leo(5) e Câncer(4), segue também em conjunto o padrão estabelecido pelo número nove.

Publicado  no ECOS da Fraternidade Rosacruz de São Paulo em 1996 
Sobre o gráfico: http://www.christianrosenkreuz.org/crc31.htmsubtítulo O Número da Besta..

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

A Tempestade de Eliseu - O embate entre Marte e Saturno


A natureza intrínseca de Marte é energia dinâmica, ou seja, força atual ou cinética. As pessoas que tenham acumulado um lastro positivo em vidas anteriores, neste aspecto de sua natureza, trazem por mérito, ao nascer, em seus horóscopos, um Marte bem fortalecido, exaltado, bem configurado. Alcançam facilmente êxito na vida pelo menos dentro dos limites de seu raio de ação.

Mas, se não estão equilibrados pelo aspecto do sentimento, da afeição, da amizade, do altruísmo, essa energia vital se expressa como agressiva ambição, tão forte que põe de lado, sem a menor consideração, os direitos do próximo. Vêm apenas seus interesses, ponto de vista e métodos, fazendo-os prevalecer sem levar em conta as pessoas que possam ferir ou prejudicar. Impulsivos, estão dispostos a produzir mudanças repentinas sob o impulso do momento e o convite das circunstâncias. Ressentem-se vivamente contra as pessoas que ousam formular objeções a seus planos, mas geralmente lhes falta a persistência necessária para levar a cabo seus projetos.

Quando encontram sérios obstáculos, abandonam seus planos, tão ardente e subitamente como os haviam concebido e iniciado, para conceber outros novos com o mesmo ardor de suas anteriores iniciativas e com a mesma deficiente razão.

No Reino de Deus todas as coisas estão equilibradas de modo a assegurar, finalmente, o maior bem possível a todos.  Daí que a influência de Saturno, outro dos Astros chamado maléfico, sirva como freio à exuberante energia de Marte. A natureza intrínseca de Saturno é obstrução. Jamais impulsiona alguém ao risco, à imprudência, à incerteza. Medita antes de tomar uma determinação. Sua razão, fria e calculista, descobre a menor falha em qualquer empresa.

“No horóscopo de uma alma jovem ou imatura, Marte predomina”. Sua personalidade se desenvolve sob o aspecto inteiramente físico. Está muito próximo aos animais que agem e vivem sob a lei de sobrevivência do mais apto, mas gradualmente as garras de Saturno se vão ajustando em quadraturas e oposições produzindo sofrimentos e tristezas.

Saturno estará então, colocado acima de Marte em seu horóscopo para freiá-lo e lhe frustrar os egoísmos, humilhá-lo nas ambiciosas pretensões, de modo tal que todo esforço fica neutralizado pela obstrução saturnina. Eliseu não podia ouvir a voz que queria guiá-lo, por causa do ronco dos trovões e relâmpagos faiscantes da tempestade ao seu redor (1Reis 19; 11-12). Eliseu, que em hebreu significa Deus é a salvação, é um profeta Bíblico. Era discípulo de Elias e foi um dos profetas que mais tem milagres registrados na Bíblia.

Mas, quando todo o ruído cessou, Eliseu pode escutar a pequena voz silenciosa que o confortou compensadoramente. O mesmo sucede conosco. Ao cedermos aos impulsos desenfreados de Marte, tornamos nossa vida demasiado agitada para ouvirmos a voz interior. É-nos impossível estabelecer comunicação com o Superior. Mas, quando Saturno atenua, pelos pesares, os impulsos de Marte; quando a noite torna mais tenebrosa na “cova de Eliseu”, então podemos também ouvir a voz que anuncia a bonança, após a tempestade.
publicado na revista Serviço Rosacruz, outubro de 1968 

domingo, 30 de julho de 2017

Sol: Princípio e Poder

Elman Bacher - Vol.I
Considerando a simplicidade da estrutura de um horóscopo, não podemos deixar de nos impressionar com a profundidade de seu simbolismo. Um centro e doze radiações limitadas por um círculo – e isso é tudo. E ainda ele serve como uma representação do Cosmos. Nada em simbologia representa tanto e de forma tão econômica.

A estrutura de um horóscopo simboliza a base da manifestação de qualquer coisa – um ser humano, um evento, uma nação, ou um sistema solar. Cada manifestação tem seu próprio padrão ou frequência vibratória, e o simples traçado de um círculo com divisões partindo de seu centro pode ser usado para representar o “corpo” dessa manifestação.

Consideremos um sistema solar: dizem que o Logos, tendo selecionado uma área esférica de espaço na aurora da manifestação, verte suas energias no centro, objetivando assim um Sol – ou centro de manifestação. A Vontade do Logos interpenetra essa imensa esfera em toda sua extensão. Partindo do centro – ou Sol – irradiam-se vários campos para a atividade evolutiva.

Chamamos a estes “campos” de planetas, sendo que cada um provê espaço para o desenvolvimento de vários tipos de seres. Cada planeta está em relação com o Criador tanto quanto cada cor está em relação com o Princípio da Luz ou cada tom está relacionado ao Princípio do Som. O Sol, como corpo central, é a Vontade do Logos objetivada, e os corpos do sistema são as expressões dessa Vontade em manifestação.

O horóscopo como um mapa dos céus, deveria mostrar o Sol no centro. Contudo, em relação à Terra, que é nosso campo de evolução, e para propósitos astrológicos, consideramos o Sol como fazendo parte da família dos planetas, porque em termos humanos, a expressão da Vontade ainda está em desenvolvimento pelos processos evolutivos. A humanidade, em sua maior parte, vive em seus negativos, seus sentimentos, medos e desejos.

Consequentemente, a dominação pela experiência é inevitável. Viver na “consciência solar” deve implicar uma completa identidade com a Fonte, completo desapego das exigências do sentimento, completo controle e direção de todas as faculdades expressas pelo ser humano. Isto, em outros termos, é Maestria. Em outras palavras um mestre, mesmo encarnado, determina suas experiências pela irradiação do seu próprio centro, não pela resposta aos impulsos e tendências dos seus planetas. Ele então, na medida do possível é verdadeiramente um criador – ele vive em sua consciência solar.

Mesmo do ponto de vista da mais mundana abordagem à astrologia, usa-se o mesmo traçado. O local do nascimento é o centro do qual se irradiam as várias experiências da vida em termos de pessoas, lugares e coisas. O mesmo traçado é usado para representar o “Ego objetivado”; o Eu Superior – ou o “Deus em potencial” é o centro do círculo, e os diversos estados ou expressões dessa potencialidade são as posições e aspectos planetários. Deste modo o horóscopo é visto, seja qual for sua aplicação, como o símbolo de uma manifestação de Deus.

Uma vez que o Sol representa o mais elevado estado de consciência conhecido pelo ser humano, o princípio envolvido é o Poder – o primeiro aspecto do Logos. Como astro-analistas, devemos prestar muita atenção aos aspectos do Sol no horóscopo, uma vez que estes representam os “graus de consciência de Deus” que a pessoa alcançou até aqui em seu atual ciclo de desenvolvimento. Cada aspecto benéfico do Sol que indique uma aplicação harmoniosa ou construtiva do princípio de Poder é uma redenção. E cada aspecto maléfico é visto, portanto como um obstáculo ou perversão do Poder.

O Sol é a síntese de todos os planetas, de modo que qualquer planeta identificado com o Sol por aspecto, disposição, etc., ganha, por conseguinte, em poder e esfera de expressão, quer espiritual ou mundanamente. Os planetas, especialmente os dinâmicos, posicionados em Leão, indicam que sua expressão construtiva deve basear-se no uso correto do poder; as aflições indicam tendências para pervertê-lo.

Relacionando com os Ensinamentos de Max Heindel:
"...Quando  o Cristo utilizou o corpo de Jesus na Terra e curou os enfermos, Ele, sendo Senhor do Sol, incorporava dentro de Si a síntese das vibrações estelares, assim como a oitava contém todos os tons da escala. Assim, Ele podia emitir a verdadeira influência planetária corretiva para cada caso". (Max Heindel em Princípios Ocultos de Saúde e Cura, Cap. XI - A Astrologia como Auxiliar na Arte de Curar.)
Nota: Os grifos em ambos textos são de Rosacruz e Devoção

domingo, 4 de junho de 2017

Do Retorno Macrocósmico ao Lar: O Signo de Câncer

 por Jonas Taucci
“Vida em família”, do pintor norte americano George C. Bingham   (1811-1879), Museu da Arte de New Orleans, U.S.A. Esta pintura expressa bem o sentido do "LAR" .              
Certamente todos nós já sentimos a sensação de conforto no regresso ao lar após uma ausência, seja ela por férias, trabalho etc.

Por mais prazeroso (férias) ou produtivo (trabalho) que tenha sido, o retorno ao lar constitui-se em algo agradável.

Para o aspirante rosacruz, existe um retorno superlativo ao lar, que acontece este mês.

No próximo dia 21 de junho deste ano de 2.017, aproximadamente à 01h26m (horário de Brasília) e obedecendo-se os devidos fusos horários espalhados pelo mundo, o Sol ingressa no signo zodiacal de Câncer, inaugurando o inverno (hemisfério sul) e verão hemisfério norte) em nosso planeta.

Este acontecimento constitui-se – verdadeiramente – num retorno cósmico ao seu lar (Mundo do Espírito de Vida), realizado por Cristo, o mais alto iniciado do Período Solar.

Nossa Sede Mundial (Oceanside) nos orienta a oficiarmos o Ritual Rosacruz do Solstício de Junho, dia 20. Caso não possa comparecer a um Centro, oficie na quietude de seu lar.

Importantíssimo também os Centros, probacionistas e estudantes, estarem vinculados à nossa Sede Mundial, através seus respectivos Relatórios, pois assim mantêm o vínculo com a essência vibratória dos Ensinamentos Rosacruzes, o que não aconteceria se o envio fosse cessado.

Desconheço uma fonte, fora dos Ensinamentos Rosacruzes, onde haja – detalhadamente – informações sobre esta Trajetória Anual Crística, como segue (ela está tabulada para o hemisfério sul):

A) Próximo de 21 de setembro, o Sol ingressa no aéreo signo zodiacal de Libra, inaugurando a estação da Primavera; Cristo toca a atmosfera de nosso planeta, descendo do Mundo do Espírito de Vida.

B) Próximo de 21 de dezembro, o Sol ingressa no terrestre signo de Capricórnio, inaugurando a estação do Verão; Cristo alcança o centro de nosso planeta, ficando ali cerca de três dias, irradiando seu Amor para toda a Terra, Amor este que culmina na Noite Santa de 24 de dezembro (Natal).

C) Próximo de 21 de março, o Sol ingressa no ígneo signo de Áries, inaugurando o Outono; Cristo deixa a atmosfera de nosso planeta, e com júbilo, cosmicamente ressoa:“Consumatum est”. Está terminado o trabalho deste ano. Celebramos a Páscoa.

D) Próximo de 21 de junho, o Sol ingressa no aquático signo de Câncer, inaugurando o Inverno; Cristo alcança o Mundo do Espírito de Vida, para assimilar a essência do serviço amoroso e desinteressado que prestou.

Sem esta Trajetória Anual Crística, toda onda de vida que possui a Terra como campo de evolução, estaria comprometida.

À medida que – anualmente – este trabalho do Cristo está sendo realizado, a Terra irá, paulatinamente, compor-se do Éter Crístico, sendo muito peculiar a citação de João, em sua 1ª Carta (escrita no início do século I, e centrada no amor ao próximo), no capítulo 02:08:

“...porque as trevas estão se afastando, e já está brilhando a luz verdadeira...”.

Há – ainda - uma interessantíssima informação dada pelos Ensinamentos da Sabedoria Ocidental, que poucas pessoas observam:

- A chegada de Cristo ao seu LAR (Mundo do Espírito de Vida), está conjugada com a entrada do Sol no signo de Câncer. Este signo, a Lua e a 4ª Casa Zodiacal, são – por excelência - os arquétipos do LAR.

A irmã Júlia Letaif Sahão, prestou enormes serviços à Fraternidade. Dentre eles, o de secretariar a revista Serviço Rosacruz”, revista mensal, impressa e que chegou a ter 36 páginas.

Em certa ocasião, início anos 80, após oficiar o Ritual Rosacruz do Solstício de Junho, esta irmã comentou haver provavelmente três classes de pessoas, com referência à Trajetória Anual Crística:

1). As que desconhecem completamente.

2). As que conhecem intelectualmente.

3). As que a vivenciam e – ainda que dentro de nossa estatura espiritual diminuta comparada a Cristo –  praticam este Ritual, pensando, falando e agindo de acordo com os Ensinamentos da Sabedoria Ocidental.

Conhecimento não é sabedoria.

Paulo exortou-nos “Ainda que eu conheça todos os mistérios e toda ciência, se não tiver amor, nada serei”. Esta frase não deve ser apenas conhecida pelo aspirante rosacruz.

Há que ser praticada.

Sabedoria constitui-se na aplicação do que conhecemos em serviço de nosso semelhante, sendo que o Deus de nosso Sistema Solar possui três aspectos (Conceito Rosacruz do Cosmos, diagrama 06):

*** Vontade     *** Sabedoria     *** Atividade

Quando nosso conhecimento estiver (de uma forma alquímica e interna) amalgamado com o AMOR, surgirá a SABEDORIA, uma expressão inequívoca de nosso CRISTO INTERNO.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Das Alegrias Zodiacais e do Táxi Indicado por Max Heindel

                                                                                                                            por Jonas Taucci









O escritor russo Dostoievski (1.821-1.881) finaliza seu livro Noites Brancas” com uma pergunta:

“Meu Deus! Um momento de felicidade! Sim! Não seria isso o bastante para preencher uma vida?”

Nastenka, uma das personagens, é a responsável pelo famoso autor citar a indagação nesta magistral obra literária.

Ei-la, numa ilustração do pintor – também russo - nascido em 1.930, Ilya Glazunov, feita para o citado livro de Dostoievski, e que se encontra na Galeria da Arte de Moscou.

Vemos Nastenka, o rio Neva e a cidade de São Petersburgo na Rússia, palco do enredo.

Inexiste – com certeza – ser humano que não tenha por várias vezes no decurso de sua vida, sentido alegrias, por mais difícil e atribulada que tenha sido sua existência.

Quando não reconhecemos que somos chispas da chama de Deus, nos afastamos das alegrias e da identidade de Seres de Luz que somos, pois, a chispa desta chama possui os atributos:

     * Da luz           * Do calor            *Do movimento para cima

Todos nossos atos, reação que vivenciamos, expressão emocional e todo pensamento que sustentamos, possui uma qualificação vibratória particular e isto tudo pode ser sublimado em oitavas superiores de júbilo e alegrias.

Isto ocorre quando efetuamos um processo de Cristificação em nosso pensar, falar e agir.

Nenhum ser humano está excluído de viver alegremente (Elman Bacher).

Mas, as alegrias que sentimos – no mais íntimo de nosso ser - são todas exatamente da mesma natureza e essência?

A astrologia rosacruciana diz que não!

Determinadas alegrias que vivenciamos estão relacionadas com Hierarquias Zodiacais e Planetárias, possuindo assim nuances estelares.

O signo de Léo, o Sol, e a 5ª Casa Zodiacal, podem ser considerados como os arquétipos da consciência da alegria.

Uma pessoa de coração verdadeiramente alegre; age assim, pois está consciente - até certo ponto - do alcance da abundância da Luz de nosso Pai Solar que é a fonte de tudo o que somos, temos, ou podemos alcançar em nossa vida (leia o Conceito Rosacruz do Cosmos - Capítulo XI – Gênese e evolução do nosso Sistema Solar - subtítulo Nascimento dos planetas).

Consideremos – ainda que resumidamente - algumas expressões de alegrias, e sua relação com Hierarquias Planetárias e Zodiacais.

*Áries/Marte:- A alegria que expressamos na ação do servir, na renovação diária de nosso comportamento, no “Eis que faço novas todas as coisas”, a começar pelo nosso interior. No embate entre nosso Eu Superior e Eu Inferior.

*Tauro/Vênus:- A identificação com a natureza (expressão simbólica de Deus, conforme ”Interpretação Mística da Páscoa”, de Max Heindel) nos traz alegrias imensas, principalmente com a terra, elemento Taurino. A 6ª Sinfonia (Pastoral) de Beethoven, musicalmente nos transmite isso.

*Gemini/Mercúrio – A educação, estudos, raciocínio etc. Cristificados. O Intercambio de toda forma de comunicação - unidos por uma fraternidade – resulta em profundas alegrias.

*Câncer/Lua:- A alegria de exercer a maternidade, consciente que um novo ego adentrará na escola da vida. A renúncia de si mesmo para “nutrir” o semelhante.

*Léo/Sol:– O júbilo na sua forma pura, sem mesclas. Amar a humanidade sem esperar algo em troca.

*Virgo/Mercúrio:– O que aprendemos, canalizado para o trabalho. O não acumulo interno do que sabemos, e sim o seu compartilhamento em servir, produz júbilo íntimo de quem assim procede.

*Libra/Vênus:– A Casa 01 de um horóscopo representa o EU, a aposta, Casa 07 indica o VOCÊ. Unidas resultam no NÓS. Somos – todos – pertencentes à Onda de Vida dos Espíritos Virginais. O regozijo que isto representa, quando tomamos consciência desta maravilhosa família.

*Escorpião/Plutão:– Sem amor, o ato gerador é uma compulsão frenética concentrada em si mesmo. Contudo com a expressão do amor e da observância das Leis Cósmicas, converte-se numa alegria transcendente: a sublime vida gerando vida sublime. Podemos fazer uma analogia sobre isso: ela representa uma pessoa sendo o Sacerdote e a Missa ao mesmo tempo, em sua vida. A celebração Cósmica.

*Sagitário/Júpiter:– A alegria de Gemini/Mercúrio, representa o estudante que é ensinado e amado. Mas aqui, está consciente do professor que ensina e ama alegre e abundantemente (palavra jupteriana).

*Capricórnio/Saturno:– As alegrias que o pai sente em relação a seus filhos, e a consciência do Redentor em oitavas superiores. O júbilo silencioso e legitimo das responsabilidades colocadas no dia a dia.

*Aquário/Urano:– A incomensurável alegria de perceber a alma em outra pessoa. Não mais o amor de corpo para corpo, mas o amor em essência divina, não estando – absolutamente – relacionado a nada físico.

*Piscis/Netuno:– As preces, orações, ofícios devocionais, etc. sendo traduzidas em serviço alegre e abnegado à humanidade. A alegria do “respirar” de nosso Eu Superior. O regozijo da fé – alegremente - revitaliza nossos níveis de consciência.

As (restritas) Reuniões de Probacionistas ativos, realizadas pela Fraternidade Rosacruz, possuíam uma frequência de 30 a 35 pessoas. Lembro-me de um comentário do irmão Fouad Sahão, após uma destas reuniões, há muito tempo:

***Uma pessoa forma-se em uma Faculdade de Teologia. Ela está com seu lugar assegurado no Céu? NÃO.

***Com o referido diploma, consegue alcançar a iluminação e a sabedoria? NÃO. 

***A graduação acadêmica teológica, define e determina uma espiritualização Crística? NÃO.

***Este princípio aplica-se também a Fraternidade Rosacruz. Apenas concluirmos seus cursos (aqui, no caso o Curso de Astrologia), e não o colocarmos em prática, não avançaremos um milímetro em termos de avanço espiritual.

E conclui, citando Max Heindel (Coletâneas de um Místico, capítulo XVII):

Coletâneas de Um Místico - Capítulo XVII (clique aqui)
Ainda sobre as alegrias;

A Carta aos Filipenses (Novo Testamento) foi escrita por Paulo, aproximadamente em 60 DC, e é chamada também de Carta da Alegria por alguns teólogos, pois esta palavra (ou sinônimo) está registrada em vários capítulos. Um exemplo:

Alegrai-vos sempre no Senhor! Repito alegrai-vos.(Filipenses 04:04)

Aqui, “SENHOR”, devemos entender como o nosso Eu Superior.

        Procuremos estas alegrias.    Pratiquemos estas alegrias.

*********De um ciclo de palestras, baseada em Elman Bacher, realizada na Biblioteca Municipal da cidade de São Caetano do Sul (SP - Brasil), em julho de 1.985, por ocasião do 120º aniversário de nascimento de Max Heindel.